de Joao Gilberto y Caetano Veloso, Aquarela do Brasil

Brasil, meu Brasil brasileiro
Meu mulato izoneiro, vou cantar-te nos meus versos
O Brasil, samba que dá, bamboleio que faz gingar
O Brasil do meu amor, terra de Nosso Senhor
Abre a cortina do passado
Tira a m„e preta do serrado
Bota o rei Congo no congado,
Deixa cantar de novo o trovador
A merencória luz da lua
Toda a can¡„o do meu amor


Quero ver essa dona caminhando
Pelos salıes arrastando o seu vestido rendado
‘, esse coqueiro que dá coco
Onde amarro a minha rede nas noites claras de luar
Ah, ouve essas fontes murmurantes
Aonde eu mato a minha sede
E onde a lua vem brincar
Ah, esse Brasil lindo e trigueiro
… o meu Brasil brasi leiro
Terra de samba e pandeiro
Brasil, terra boa e gostosa
Da morena senhora de olhar indiferente
O Brasil, samba que dá, bamboleio que faz gingar
O Brasil do meu amor, terra de Nosso Senhor

Los comentarios están cerrados.